Pescadores ficam perdidos no Pantanal e são resgatados pelo Corpo de Bombeiros Militar em Corumbá

As 13:00 horas de Ontem(15) um homem de 39 anos veio até o quartel do 3 GBM, e informava que seus dois primos que são pescadores profissionais saíram na noite do dia (14) por volta das 22 horas e que subiram o Rio Paraguai em busca de peixes e que segundo informações próximo a baia do Saracura existiria uma grande quantidade peixes na lamina d’ água.
Por volta das 11:00 da manha de ontem(15) o primo dos pescadores recebeu uma ligação dos mesmos dizendo que estavam perdidos dentro da baia do Saracura e que já estavam cansados e com fome.Diante da informação recebida e sabendo que a região nesse período esta totalmente alagada e perde se totalmente as referencias naturais, uma guarnição de salvamento deslocou até a localidade que fica uns 55 km subindo o Rio Paraguai(montante).

Após 1 hora de navegação a guarnição encontrou os dois pescadores sendo J.M.P 49 anos e E.M.P 40 anos, os mesmo estavam dentro da baia do Saracura e estavam cansados e nervosos por causa da situação, nenhum deles apresentava qualquer agravo clínico e relataram que durante a busca pela saída foram picados por abelhas e estavam com fome e muita sede, apesar de estar uma área alagada a água do rio Paraguai está muito suja e com forte odor imprópria ao consumo. Informaram também que tiveram noção que se perderam quando amanheceu e notaram que a informação de que haviam muitos peixes não era verdadeira e tentaram buscar a saída da baía, porém com a cheia, os trechos que dão acesso a baía e com o movimento das águas acumulam muitos camalotes e muda a configuração da paisagem confundindo e desorientando a navegação.

Os pescadores começaram a navegar em círculos ou seja voltando sempre pro mesmo lugar mesmo não querendo.Após serem encontrados, os pescadores seguiram a guarnição de salvamento até a “boca” da baía e retornaram ao leito do Rio Paraguai onde foram escoltados e trazidos até o Porto geral, os mesmo alegaram que não haveria necessidade de atendimento da viatura resgate e seguiram com familiares para a sua residencia.

Orientações em situações de Emergência:

Em uma região isolada, quando se der conta que está perdido, geralmente entra em pânico. E é exatamente este ponto fundamental para sua sobrevivência, manter a calma, e isso pode ser feito com a aplicação da regra básica “ESAON”.

E = Estacione. Mantenha a calma, porque ficar afobado só te roubará energia.

S = Situe-se. Avalie o redor. Tem água? Faz frio? É alto? Pense no ambiente e nos recursos que tem a sua disposição e avalie se conseguirá passar algumas horas, dias ou semanas ali.

A = Alimente-se. O cérebro não funciona sem glicogênio, e você precisa mantê-lo em condições para pensar direito antes de ter forças para mover os músculos. Pense em maneiras de obter água e comida.

O = Oriente-se. Você tem mapa ou bússola? É hora de usá-los. Caso contrário, observe o movimento do sol e das estrelas para se localizar.

N = Navegue. Uma vez que você sabe em qual direção seguir, tente acompanhar sua evolução no mapa (caso tenha um). Noções de geografia são fundamentais nessa hora.”

É mais importante antever uma situação de risco do que ter que sair dela. Pensando nisso, ao longo do caminho, preste atenção em referências como as árvores maiores, que se destacam na vegetação. Fazer pequenas marcações em troncos com um canivete e quebrar galhos são hábitos que funcionam como um tipo precaução, em especial em trilhas fechadas. Quando você está indo em um determinado sentido, a visão que se tem é bem diferente do que quando se segue no caminho inverso – e às vezes você tem que voltar. Por isso, olhe para trás de tempos em tempos.