3°GBM Corumbá: Militares aprendem técnicas de Krav Maga

Categoria: Geral | Publicado: quarta-feira, junho 22, 2016 as 14:19 | Voltar

O treinamento aconteceu na sede do 3° Grupamento de Bombeiros e contou com a presença da tropa operacional da unidade. A instrução de defesa pessoal foi ministrada por Cristiano Nascimento e Marcelo Barcellos, ambos confederados na KMG (Krav Maga Global), América Latina.

Krav Maga “Combate de Contato”, desenvolvido em Israel é confundido por muitos como uma arte marcial,  porem é considerado como  técnicas de defesa pessoal. O ensino do Krav Maga está dividido em duas partes. A primeira que vai da faixa branca à faixa azul, onde se aprende as técnicas de defesa pessoal;  E a segunda, que vai da faixa azul à faixa preta, onde se aprende as técnicas de combate corpo-a-corpo, técnicas de combate militar e exercícios mais complexos.

O treinamento aconteceu na sede do 3° Grupamento de Bombeiros e contou com a presença da tropa operacional da unidade.

O treinamento aconteceu na sede do 3° Grupamento de Bombeiros e contou com a presença da tropa operacional da unidade.

De acordo Cristiano Nascimento “Continuamente vocês se deparam com pacientes psiquiátricos, vitimas alcoolizadas ou sob efeito de entorpecentes e até a população durante seus atendimentos pode ficar agressiva, e as técnicas do krav maga ajudaram vocês as saíram rapidamente do agressor neutralizando-o”.

Sua técnica visa impedir que o ataque atingisse o alvo e ao mesmo tempo simplifica e aumenta a força dos movimentos do contra-ataque. Racionaliza matematicamente os movimentos de ataque e defesa, utilizando a transferência de peso e a força de explosão; potencializando a ação independentemente da força física.

O treinamento foi uma apresentação das técnicas da modalidade, onde os militares do 3° Grupamento de Bombeiros receberam as orientações teóricas e práticas, “Corumbá é uma cidade muito festiva e seus eventos são referencia, no Estado,  e em toda Região Centro Oeste, com isso nesses períodos atendemos um grande publico e por vezes exaltados ou agressivos,  preservar a integridade física da vítima,  nossa e do agressor é muito importante para a eficiência  do atendimento”, declarou o soldado Flavio Faldin.

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.