Bombeiro Militar em Três Lagoas realiza atendimento a emergência respiratória por obstrução de vias aéreas

Categoria: Geral | Publicado: terça-feira, novembro 27, 2018 as 09:55 | Voltar

Três Lagoas (MS) – Na última quinta-feira (22), o 5º Grupamento de Bombeiros Militar (5°GBM) atendeu a um chamado de obstrução de vias aéreas por corpo estranho(OVACE) envolvendo uma criança com pouco mais de 1 ano de idade.

Após ligar no telefone de emergência do Corpo de Bombeiros Militar 193, a mãe da criança informou um engasgamento com um objeto plástico quando fazia compras em região comercial na Av Filinto Muller.

De serviço no centro de operações do corpo de bombeiros (COCB), o 2º sargento Castilho de pronto coletou as informações pertinentes e deu início as ações operacionais orientando a genitora quanto ao que fazer enquanto a equipe de resgate se deslocava para o local.

Incluído nas fileiras do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso do Sul (CBMMS) há mais de 20 anos, o sargento bombeiro militar conseguiu acalmar a mãe da criança e ela executou manobras de tapotagens conforme as orientações recebidas e a criança expeliu o objeto estranho.  Com a chegada das equipes no local, a criança já respirava normalmente e apresentava sinais vitais dentro dos padrões de normalidade.

PRINCIPAIS ORIENTAÇÕES PARA A POPULAÇÃO:

  • Caso o bebê não consiga chorar nem tossir, as vias aéreas podem estar fechadas;
  • Um indicador de um bebê engasgado é ele emitir ruídos estranhos ou abrir a boca sem emitir nenhum som. A pele começa a ficar vermelha além do comum, azulada ou arroxeada;
  • A criança apresenta tosse quando o engasgamento não é total. A tosse é o método mais eficaz para liberar as vias aéreas.

O QUE FAZER:

  1. Com a palma da mão em concha, segure a cabeça do bebê;
  2. Deite o bebê de costas em seu antebraço, mantenha a cabeça num plano inferior ao tórax;
  3. Abra a boca do bebê e observe se há objetos ou alimentos que o impeçam de respirar;
  4. Evite sempre colocar o dedo na boca do bebê. A única exceção será quando visualizar algum objeto que possa ser retirado, tomando cuidado para não empurrá-lo ainda mais;

Procedimento para inspeção visual. Fonte: Manual de Atendimento Pré-Hospitalar do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul.

  1. Não havendo expansão torácica, passe o bebê para o outro braço, virando-o de bruços, com a cabeça mais baixa que o tronco, e a face voltada para baixo;
  2. Segure firmemente a cabeça do bebê pela mandíbula, e com o dedo indicador, abra a sua boca;
  3. Localize o centro entre os ombros do bebê;
  4. Com a base da mão, efetue cinco palmadas;

Procedimentos para tapotagens. Fonte: Manual de Atendimento Pré-Hospitalar do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso Do Sul, 2011.

  1. Faça o giro, retornando à posição inicial;
  2. No meio da linha imaginária dos mamilos, efetue cinco compressões com os dedos anular e médio;

Procedimentos para as compressões. Fonte: Manual de Atendimento Pré-Hospitalar do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso Do Sul, 2011.

  1. Abra a boca do bebê novamente, visualize se há objetos retirando com cuidado para não empurrá-lo novamente;
  2. Se obtiver sucesso, mantenha o bebê em observação. Não deixe de levá-lo ao Pronto Socorro para avaliação médica;
  3. Se o bebê não desengasgar, repita a sequência até que ele desengasgue ou até à chegada dos Bombeiros.

LEMBRE-SE:

Por mais difícil que seja a situação, MANTENHA A CALMA e siga as instruções do atendente do Corpo de Bombeiros Militar ao ligar 193.

Referências:

CBMMS. Manual de Atendimento Pré-Hospitalar do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul, 2011.

CBMPMESP. Manual de Fundamentos do Corpo de Bombeiros Militar, 2014.

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.