Corpo de Bombeiros Militar em Coxim (5º SGBM/Ind), orienta a população, sobre como diminuir o medo e evitar fugas dos cães durante as comemorações de final de ano

Categoria: Geral | Publicado: sexta-feira, dezembro 29, 2017 as 11:33 | Voltar

Coxim (MS) – Com as festas que chegam juntamente com o fim do ano, surgem os famosos fogos de artifício. Na virada do ano, por exemplo, eles são responsáveis por um belíssimo espetáculo colorido no céu. Porém, ainda que eles encham os olhos de muita gente, os ouvidos dos cachorros são bombardeados. Geralmente os cães costumam ficar agitados e extremamente assustados quando os fogos começam, o cão possui a audição 04 vezes melhor que o homem capaz de detectar em apenas 06 centésimos. Cada cão reage de uma maneira, uns latem ansiosos e estressados com medo, outros se escondem em lugares apertados como embaixo de camas, em armários ou dentro de casa.

O Comandante do 5º Subgrupamento de Bombeiros Militar Independente, Cap Fábio Pereira de Lima, responsável pelo Serviço de Cães do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, Cinotécnico e Adestrador, orienta como diminuir o medo e evitar fugas dos cães, devido a grande quantidade de fogos de artifícios utilizados nas comemorações de fim de ano.

A fobia de ruídos altos, especialmente trovões e fogos de artifício, é comum entre os cães, eles geralmente demonstram medo escondendo-se, chorando, latindo, batendo com as patas no chão e até mesmo urinando, ajudar o seu cão a lidar com ruídos altos é importante porque a ansiedade associada à fobia normalmente aumenta com o passar dos anos, um cão que tenha medo de trovoadas pode começar a apresentar sinais de ansiedade antes mesmo de começarem os trovões, o barulho da chuva no telhado da casa, flashes de luz e até a queda de pressão atmosférica antes da tempestade podem ser suficientes para desencadear a ansiedade.

É importante não punir seu cão por ele estar ansioso, mas é igualmente importante não confortá-lo demais nessas ocasiões. Punir seu cão, irá apenas aumentar o medo e a ansiedade, porque ele vai associar o trovão ao medo e à punição. Afagá-lo ou confortá-lo demasiadamente, não é uma boa ideia, pois isto o ensinará que o comportamento ansioso é adequado, ao invés disto, providencie um local seguro para seu cão se refugiar, os lugares mais comuns em que os cães costumam se refugiar são suas caixas de transporte, ou debaixo de camas e poltronas, pois nesses lugares eles se sentem protegidos e o barulho de trovões e fogos é abafado, caso seu cão ainda não tenha escolhido um lugar, providencie um e experimente deixar alguns petiscos em um local seguro para estimulá-lo a ir para lá.

Tente diminuir sua sensibilidade para ruídos altos de forma que os barulhos se transformem em algo normal pra ele, geralmente, isto pode ser feito através da reprodução, em um volume baixo, de um áudio com trovões por intervalos curtos de tempo, enquanto você monitora o comportamento de seu cão, tente distraí-lo durante a reprodução do ruído, brincando de atirar objetos para que ele busque ou envolvendo-o em alguma outra atividade agradável, se o seu cão estiver apavorado demais para participar, você deverá diminuir a intensidade do estímulo sonoro e tentar novamente mais tarde. Este processo é longo e requer paciência, mas no final seu cão se sentirá muito mais à vontade durante uma tempestade.

Mas existem outras maneiras simples e fácil de amenizar o sofrimento do seu cão, de uma forma muito simples. A técnica, desenvolvida por Linda Tellington-Jones, consiste em atar o cão com um pano para que a circulação sanguínea do corpo seja estimulada, e assim, amenizar as tensões e diminuir a irritabilidade do animal.

1) Como fazer? Utilizando uma faixa de um tecido macio e firme, amarre o cachorro de modo que a faixa abrigue o peito e o dorso do animal, e finalize dando um nó na região da coluna. Porque funciona? A pressão exercida sobre o corpo do animal faz com que seu psique e tronco entrem em harmonia, causando a sensação de segurança e deixando o cão menos agitado. O efeito pode variar em cada cachorro, dependendo do nível de fobia que ele possui;

2) Colocar chumaço de algodão nos ouvidos ajudam a amenizar o ruído;

3) Deixá-lo em um local que o animal se sinta seguro;

4) Outra preocupação é a respeito de fugas, devendo identificar o animal com coleiras, nome e telefone, além de trancar os portões;

Para obter mais ajuda sobre o tratamento da ansiedade canina, consulte um veterinário.

 

 

 

 

 

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.