Corumbá: 3°GBM Recepciona comitiva de comandantes regionais das Forças Armadas Bolivianas

Categoria: Geral | Publicado: sexta-feira, janeiro 20, 2017 as 12:54 | Voltar

O 3° Grupamento de Bombeiros Militar recepcionou na manhã desta última quinta-feira (19/01), em suas instalações, a visita da comitiva boliviana composta por comandantes regionais das forças armadas do vizinho país e entidades ambientalistas governamentais.

O tenente-coronel Eduardo Steica recepciona o comandante do 5° Distrito Naval da Armada Boliviana o C.N. Ayllon. Créditos:2°SGT.BM.Paiva

Tenente-coronel  Eduardo Steica recepciona o comandante do 5° Distrito Naval da Armada Boliviana o C.N. Ayllon.
Créditos:2°SGT.BM.Paiva

A visita teve como propósito apresentar os equipamentos de proteção individual e coletivos de combate a incêndio florestal, assim como equipamentos moto mecanizados empregados neste tipo de combate, e com isso surge também a proposta da realização de capacitações para os militares do referido país e desta forma  viabilizar termo de cooperação técnica com a Bolívia.

Equipamentos de proteção individual e coletivo, assim como moto mecanizados utilizados no combate a incendo florestal, foram apresentados para a comitiva. Créditos:2°SGT.BM. Paiva

Equipamentos de proteção individual e coletivo, assim como moto-mecanizados utilizados no combate a incêndio florestal, foram apresentados para a comitiva.
Créditos:2°SGT.BM. Paiva

De acordo com o comandante do 3° GBM tenente-coronel Eduardo Steica “É um assunto que partiu diretamente da Armada Boliviana, pois o problema que estamos enfrentando, como incêndios florestais não respeita fronteira. O que muito nos alegra é saber que o país vizinho, através de suas autoridades militares e civis, nos procuraram para justamente tratar desse termo, buscando uma solução para eventualidades de incidentes desta natureza”.

Para tenente-coronel Quiroz as Forças Armadas Bolivianas desempenham o papel principal no combate a incêndio florestal. créditos: 2°Sgt.Bm. Paiva

Para tenente-coronel Quiroz as Forças Armadas Bolivianas desempenham o papel principal no combate a incêndio florestal.
créditos: 2°Sgt.Bm. Paiva

De acordo com o tenente-coronel Quiroz, “As Forças Armadas bolivianas trabalham de forma ativa e contundente, para atuar de forma imediata em parceria com os órgãos governamentais em qualquer situação de desastre ambiental”, destacou o oficial do exercito boliviano.

O incêndio florestal iniciado no país vizinho, e que se alastrou para o território nacional brasileiro, foi pivô desta reunião.

O incêndio florestal iniciado no país vizinho, e que se alastrou para o território nacional brasileiro, foi pivô desta reunião.

A necessidade desta interação profissional surge com a incidência continua de focos de queimadas na linha fronteiriça com o Pantanal sul-mato-grossense e boliviano, somente neste mês de janeiro foram registrados 195 focos de queimadas no vizinho país, conforme dados da Divisão de Satélites e Sistemas Ambientais do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Militares do 3° Grupamento de Bombeiros realizaram o combate ao incêndio florestal de grande proporções que assolou a linha fronteiriça Brasil-Bolívia.

Militares do 3° Grupamento de Bombeiros realizaram o combate ao incêndio florestal de grande proporções que assolou a linha fronteiriça Brasil-Bolívia.

Para o C.N. Javier Ayllon Vargas “É muito importante esse intercambio com os Bombeiros Militares de Corumbá, pela experiência e meio que eles têm, e que possamos em um futuro chegar a um treinamento coordenando pelo 3° Grupamento de Bombeiros Militar onde os soldados e marinheiros de Bolívia possam capacitar-se em uma situação de emergência e possamos atuar conjuntamente”, destacou o Comandante do 5° Distrito Naval da Armada Boliviana sediada em Santa Cruz.

C.N. Javier Ayllon Vargas comandante do 5° Distro Naval da Armada Boliviana. Créditos: 2°Sgt. Bm. Paiva

C.N. Javier Ayllon Vargas comandante do 5° Distro Naval da Armada Boliviana.
Créditos: 2°Sgt. Bm. Paiva

Atualmente na Bolivia quando os incêndios são de pequeno porte, e empregado o efetivos das forças armadas, porem quando trata-se de incêndios de grande porte, como o que assolou o Pantanal sul-mato-grossense e boliviano, a atuação do país vizinho é limitada “(....)temos o pessoal, mas não temos os meios, por isso estamos coordenando junto às entidades governamentais bolivianas para que possamos ser mais eficientes”, informou o Comandante Ayllon.

O tenente-coronel Eduardo Steica comandante do 3° GBM. Créditos: 2°SGT.BM.Paiva

Tenente-coronel Eduardo Steica comandante do 3° GBM.
Créditos: 2°SGT.BM.Paiva

A partir do momento que eles tiverem esses materiais em mãos e pessoas trabalhando no combate à incêndio, nós estaremos fazendo uma capacitação na área de fronteira, treinando esse pessoal, já que esse problema acontece nos dois países. Do lado brasileiro ainda temos equipes especializadas nesse trabalho, como Prevefogo, forças militares, sendo que a Bolívia, ainda não possui essa equipe direcionada nessas ações”, afirmou o Comandante Steica.

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.