Investimentos do Governo dão maior rapidez no socorro às vítimas pelo Corpo de Bombeiros Militar

Categoria: Geral | Publicado: sexta-feira, junho 23, 2017 as 13:40 | Voltar

Campo Grande (MS) – Mais do que entregar ao Corpo de Bombeiros (CBM) viaturas modernas e de alta tecnologia, os investimentos do Governo do Estado à corporação, que somam R$ R$ 10 milhões e é o maior já feito em uma administração estadual, tem como prioridade a preservação da vida. Com esses investimentos, os Bombeiros conseguiram não só reduzir o tempo de resposta às ocorrências, que caiu da média de 15 minutos para 7, mas também agilizar a resolução dos casos e, assim, socorrer as vítimas no menor tempo possível.

O tenente Vinícius Barbosa Gonçalves, comandante do 1º Subgrupamento do CBM de Campo Grande, cita, por exemplo, as novas viaturas Auto Bombas Tanque (ABTs), que possuem equipamentos de alta tecnologia, como a torre de iluminação com controle remoto, que possibilita focar a luz em 360 graus, o que facilita o trabalho em locais sem ou com pouca visibilidade. A disposição dos equipamentos, principalmente as mangueiras de combate a incêndio, também permite rapidez no atendimento.

Outra vantagem é que essas viaturas possuem equipamento que permite o uso rápido e simultâneo de água e Líquido Gerador de Espuma (LGE). A nova ABT tem capacidade para armazenar 100 litros de LGE. Nas viaturas antigas, era preciso o bombeiro acoplar o balde com 18 litros do LGE para ser misturado à água usada no combate a incêndio, e isso era feito manualmente e nas novas viaturas basta apertar alguns botões. “Com isso a gente ganha em média 5 minutos, só para preparar essa estrutura”, afirma o tenente. Ele explica que o uso do LGE possibilita a contenção mais rápida e eficiente do fogo.

Outro investimento importante do governo Reinaldo Azambuja é o Auto Bomba Rápido (ABR) com guincho. Uma das viaturas dessas está na unidade dos Bombeiros do bairro Guanandi, local estratégico pois ela pode ser usada também no resgate de pessoas que caíram nos córregos que cortam a Capital. Os bombeiros registram, com certa frequência, ocorrências de pessoas que caíram nos córregos ou que estavam em carros ou motos que despencaram nesses locais, ao se envolverem em acidentes.

Viatura com equipamentos modernos e torre que cobre ângulo de 360º e permite iluminar os locais de socorro em que não há visibilidade natural.

O capitão Paulo Costa Neto, chefe da Secção de Apoio Logístico do Corpo de Bombeiros de Campo Grande, explica que a viatura antiga dotada de guincho está com defeito. Com essa nova ABR, um salvamento que antes levava em média 20 minutos, poderá agora ser resolvido em 5 minutos. E para o resgate de vítima, o socorro rápido pode salvar vida.

Outro investimento destacado é a compra das Auto Busca Salvamento e Resgate (ABSRs). É uma viatura com toda a estrutura para atendimento de ocorrências de incêndio, acidente veicular e socorro pré-hospitalar. Esse veículo conta com reservatório para 3 mil litros de água, maca e espaço para atendimento de socorro e equipamentos para salvamento de vítimas de acidentes automobilístico. “Além de reduzir gastos por essa viatura possuir múltiplas funções, vamos conseguir reduzir o tempo de resposta ao atendimento das ocorrências”, conclui o capitão.

“Em dois anos e cinco meses houve um acréscimo de 80% no número de viaturas de resgate (UR) e 125% a mais de veículos de combate a incêndio (ABT). No caso dos ABT’s, as 16 que operavam no início de 2015 eram em sua maioria caminhões antigos e adaptados. Os investimentos do governo do Estado têm como objetivo principal prestar socorro rápido e seguro aos cidadãos sul-mato- grossenses em situações de risco, urgência e emergência”, declarou o governador Reinaldo Azambuja ao falar desses investimentos.

Com as 21 novas viaturas entregues pelo governo do Estado, o Corpo de Bombeiros renova a frota em 16 municípios do Estado. São 10 Auto Bombas Tanque (ABTs), seis Auto Busca Salvamento e Resgate (ABSRs), quatro Unidade de Resgate (URs) e uma Auto Bomba Rápido (ABR) com guincho. Os ABTs são caminhões usados no combate a incêndio, as ABSR servem para ações de busca, salvamento e resgate e as URs são as ambulâncias.

“O Corpo de Bombeiros bem estruturado atenderá com maior qualidade a sociedade que está no seu momento de calamidade. Na hora da angústia, quando a população ligar 193, ela vai ter uma estrutura muito melhor que antes, para atender seu chamado”, afirma o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Esli Ricardo de Lima.

Os números mostram a importância que a administração estadual vem dando ao Corpo de Bombeiros, organismo de segurança que atua principalmente no que tem sido uma das prioridades do governo de Reinaldo Azambuja, que é o atendimento ao cidadão. Até 2015, ao longo das gestões anteriores, os Bombeiros haviam recebido 51 ambulâncias, e na atual gestão já foram 41. Antes da atual administração estadual, a corporação tinha recebido 16 ABTs, enquanto o atual governador já entregou 20 desses veículos.

Foi a primeira vez que o Corpo de Bombeiros recebeu motonáutica, conhecida como jet-ski. Foram entregues sete. E também pela primeira vez na história, o Corpo de Bombeiros recebeu, na atual administração, a viatura Auto Plataforma Aérea (APA), que é a viatura que dispõe de uma plataforma com cesto, usado para salvamento e corte de árvores que oferecem risco, tipo de serviço quem apresentando demanda crescente na Capital.

Em momentos de crise econômica como a que o país atravessa, as parcerias têm se tornado uma estratégia eficaz. E foi assim que o Governo do Estado, junto com a Prefeitura de Nova Alvorada do Sul, colocou em funcionamento uma unidade do Corpo de Bombeiros no município. “É no momento da crise que nós temos que buscar as parcerias, buscar resolver os problemas da sociedade. E aqui está um bom exemplo a ser seguido, que é a criação dessa unidade dos Bombeiros comunitários do Mato Grosso do Sul”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja, na solenidade de inauguração no dia 29 de maio.

Nessa parceria, o governo estadual entrou com equipamentos e os militares, e a Prefeitura com o prédio onde funciona o quartel dos Bombeiros e 16 funcionários que, distribuídos em equipes de três, cumprirão escala de 24 horas, dando suporte aos bombeiros militares.

Com esses investimentos, o Corpo de Bombeiros também deixa de viver o drama enfrentado trabalhando com viaturas já desgastadas. Em muitos casos, os veículos estragavam no deslocamento para atender a ocorrência e era preciso esperar a chegada de outra viatura, e isso demanda tempo, e em se tratando de socorro às vítimas de acidentes ou incêndio, a rapidez na prestação do socorro é importante, para salvar vidas.

Paulo Yafusso – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Fotos: Edemir Rodrigues

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.